Se você tem um pé atrás quando o assunto é castração, não hesite mais. A medida é amplamente defendida pelos especialistas que querem o bem do seu animal e por ótimos motivos. Nas fêmeas o procedimento reduz consideravelmente o risco de tumores de mama e infecções no útero, que são muito comuns, enquanto no macho afasta problemas na próstata. Você só deve prestar atenção no período mais indicado para a esterilização. O ideal seria que tanto cães quanto gatos de ambos os sexos se submetessem a ela antes do primeiro cio, que ocorre entre o quarto e o sexto mês de vida, quando os hormônios entram em ebulição. Depois disso, sobretudo no caso de cadelas e gatas, a cirurgia já não funciona tão bem para evitar as doenças. Por meio de uma pequena incisão removemos os testículos ou os ovários e o útero. O bicho não precisa ficar internado e a recuperação é rápida. O único cuidado pós-cirúrgico é usar uma proteção local contra uma eventual agressão bem ali. Depois de sete dias os pontos já podem ser retirados. O pré-operatório também é simples consiste em exames clínicos e laboratoriais, como hemograma, além de testes de função renal e hepática. Se achar necessário, pode ainda fazer uma avaliação cardíaca. Tudo para aumentar ainda mais a segurança do procedimento.

Mitos e verdades sobre castração

  • O ANIMAL SEMPRE ENGORDA

    - Bem, na verdade ele tende a ficar um pouco mais sedentário, mas uma alimentação light e estímulos para prática de exercício físico previnem os quilos a mais.
  • CAUSA INCONTINÊNCIA URINÁRIA

    - Isso é muito raro. Só costuma ocorrer quando a castração é realizada antes dos 4 meses de idade.
  • ADEUS, GRAVIDEZ PSICOLÓGICA

    - Sim, a cirurgia evita que a cadela ou a gata produzam leite e se comportem como se estivessem esperando filhotes.